São Paulo, 25 de fevereiro de 2021
Home / Colunistas / Janeiro Roxo – precisamos falar sobre hanseníase

Estomaterapia | Angela Boccara

Profa Dra Maria Angela Boccara de Paula – TiSobest
Integrante da Comissão de Ética da Sobest – Associação Brasileira de Estomaterapia. Editora da Revista Estima. Professor Doutor do Departamento de Enfermagem e Nutrição. Docente do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Humano. Universidade de Taubaté - Email: comunicacao@sobest.com.br

+ postagens

Janeiro Roxo – precisamos falar sobre hanseníase

Mês de janeiro, mês da campanha Janeiro Roxo – conscientização sobre a hanseníase.

A hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, que causa manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, alteração da sensibilidade (falta ou sensibilidade diminuída) ao calor, frio, dor e mesmo ao toque.

É comum a pessoa referir sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas mãos e pés e, em algumas áreas, pode haver diminuição do suor e de pelos.

É causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, também conhecido como bacilo de Hansen. A transmissão ocorre de pessoas doentes sem tratamento para pessoas saudáveis, pelas vias aéreas superiores (tosse, espirro e fala).

Em decorrência da falta de sensibilidade à ocorrência de lesões de pele são frequentes e terminam, muitas vezes, por demandar cuidados especializados para o seu tratamento. E, assim, o enfermeiro estomaterapeuta pode contribuir para auxiliar equipe de saúde, pessoa e familiares no tratamento das possíveis lesões decorrentes da hanseníase.

Mas, o mais importante mesmo, na minha opinião, não diz respeito ao tratamento de lesões e, sim, refere-se à verificação das alterações de sensibilidade e o ensino do autocuidado. Especialmente dos pés, que podem estar insensíveis ou “dormentes”, ou ainda apresentarem deformidades.

Por estas razões, a adequação de sapatos é essencial, de preferência aqueles redondos na frente, de amarrar, de pano e que tenham uma palmilha macia. O uso de meias sem costura na ponta também é importante.

É importante orientar a pessoa a sempre inspecionar o calçado antes de colocá-lo, para verificar se não há objetos ou insetos em seu interior que possa feri-lo.

Evitar o uso de chinelos também é uma importante orientação para prevenir lesões.

A inspeção e hidratação diária dos pés também é fundamental.

As ações preventivas e direcionadas para o autocuidado são essenciais e precisam ser abordadas considerando as necessidades de cada pessoa, de forma que o hábito saudável seja incorporado a rotina, contribuindo para evitar situações complexas e desgastantes.

A campanha Janeiro Roxo é uma iniciativa importante para que tenhamos atenção às pessoas que contraem hanseníase, mas não se pode esquecer que o diagnóstico precoce é essencial. Quanto antes se trata essa doença, menores são as probabilidades de ocorrência de complicações.

Infelizmente, o Brasil ocupa o segundo lugar no mundo em número de casos. Precisamos que todos, população e comunidade científica estejam atentos a esta doença que é tão antiga e incapacitante.

Comentários

O portal da Enfermagem não faz a moderação dos comentários sobre suas matérias, esse Espaço tem a finalidade de permitir a liberdade de expressão dos seus leitores, portanto, os comentários não refletem a opinião dos gestores. Apesar disso, reservamo-nos o direito de excluir palavras de baixo calão, eventualmente postadas.

Nenhum comentário enviado, seja o primeiro. Participe!