Portal da Enfermagem
Apoio Cultural:
Plantão de Notícias

Fique bem informado com tudo que acontece na área da enfermagem e da saúde! Clique na notícia desejada para visualizar o texto na íntegra.






Entrevista: Consultoria: mercado promissor

8/6/2012
Divulguem   |
A A A
a
Cristina Ramos Rodrigues
Enfermeira especialista em Administração Hospitalar e Saúde Pública, Consultora.
cristinarr@uol.com.br

 

Consultoria é mais um campo a ser explorado pelos profissionais enfermeiros.

Ela é uma atividade de diagnóstico e formulação de soluções sobre um assunto ou uma especialidade. O enfermeiro consultor não é o responsável direto pela realização das ações, mas sim um orientador nas tomadas de decisões estratégicas, o que irá refletir diretamente  nos resultados desejados pela instituição seja a médio ou curto prazos.

 

Para abordar o foco da Consultoria em Enfermagem, a atuação profissional e a oportunidade de um novo nicho para os enfermeiros, o Portal entrevistou a enfermeira Cristina Ramos Rodrigues, especialista em Administração Hospitalar e em Saúde Pública. Na área de Consultoria, especializou-se em Diagnósticos de Instituições de Saúde, Gestão de Processo Assistenciais e Projetos de Viabilidade de Organizações de Saúde.

 

Cristina explica que a Consultoria constitui-se na transição do conhecimento e da experiência de um homem em prol de um objetivo humano. “Peter Drucker foi sábio quando afirmou que prestar consultoria é explorar o desejo de ser genuinamente útil aos outros, pois o foco da consultoria é definir a melhor alternativa de ação num ambiente de negócios repleto de incertezas, riscos, competição e possibilidades desconhecidas, que representam para os gestores da empresa um problema complexo e de grande importância”, ressalta.

 

Com um perfil administrativo compatível e facilidade de relacionamento com equipe multiprofissional, Cristina está na área de Consultoria há uma década. Iniciou pela Gerência Hospitalar de uma rede hospitalar em São Paulo, depois atuou em vários estados brasileiros em virtude do trabalho com a Pró-Saúde e, hoje, consultora da Planisa, tem a oportunidade de conhecer as várias realidades do país quando o assunto refere-se às organizações de saúde.

 

“Acredito que a atuação em Consultoria é muito ampla e um bom campo a ser cada vez mais explorado pela Enfermagem, onde com conhecimento podemos, e muito, contribuir para a melhoria dos sistemas de saúde e das estruturas hospitalares”, explica a enfermeira durante a entrevista.

 

Qual a diferença entre Assessoria e Consultoria?

Assessoria é um acompanhamento sistemático em algum ponto em que a instuição esteja necessitando de um acompanhamento. Difere da Consultoria pois engloba a execução.

Já a Consultoria verifica as deficiências da instituição, os pontos a serem melhorados e indica o que fazer.

 

 

E o que envolve a Consultoria em Saúde?

Consultoria tem como finalidade apoiar intensa e temporariamente as organizações de saúde (pública ou privada) a realizar projetos de qualquer área que compõe a organização (administrativa, assistencial, apoio) e não a execução por si própria, de tal forma que seus gestores e trabalhadores adquiram conhecimentos e habilidades que o convertam num verdadeiro consultor interno, agente endógeno de mudança num processo de melhora contínua dos trabalhos e seus resultados. Podemos exemplificar: uma determinada instituição pretende implantar um ambulatório de feridas e contrata uma consultoria para ajudar no estudo preliminar, onde serão avaliados desde estrutura física necessária, recursos humanos, materiais e a parte da viabilidade econômica do novo projeto.

 

 

“Consultoria verifica as deficiências da instituição, os pontos a serem melhorados e indica o que fazer”

 

 

Como é a rotina do consultor em Enfermagem?

O profissional elabora diagnóstico de estruturas hospitalares, estudos de viabilidade (“Business Plan”) para construção, aquisição de novas estruturas, implantação do modelo de gestão (baseado no PNQ - Programa Nacional de Qualidade), implantação de novos serviços assistenciais, Planejamento Estratégico, enfim, a Consultoria em Enfermagem é uma atividade que envolve outras áreas. Portanto, nos relacionamos com as equipes financeira, médica, administrativa e outras mais.

As atividades são desenvolvidas em qualquer Instituição, o que nos permite conhecer outras realidades e muitas vezes adaptar nosso conhecimento às condições locais, sempre respeitando as legislações vigentes. Atuamos também em estudos de mercado, saúde suplementar, entre outros.

 

 

Quais os tipos de Consultoria existentes hoje?

Existem dois tipos de Consultoria: a Interna e a Externa.

O consultor interno normalmente é um funcionário da empresa. Faz parte da estrutura organizacional e está inserido em sua cultura de valores.

O consultor externo é autônomo. Geralmente trabalha em equipe com outros consultores de outras especialidades em uma empresa de consultoria.

 

 

Quais os aspectos positivos e negativos de cada tipo de atividade?

A Consultoria interna possui vantagens por estar diariamente em contato com os procedimentos internos, possuir maior conhecimento dos aspectos informais (os chamados atalhos organizacionais), possuir maior acesso a pessoas e grupos de interesse, além de participar da avaliação e do controle do processo inerente ao trabalho.

Por outro lado, o consultor interno carece de atualização prática. Seus conhecimentos são adquiridos de maneira teórica, por este não ter oportunidade de aplicar esses novos conhecimentos em diferentes casos e empresas.

Já o consultor externo possui maior experiência prática que o interno, por estar sempre em atividade em empresas diferentes, com problemas diferentes, verificando na prática as ações.

 

 

Quais características o profissional que quer atuar em Consultoria deve possuir?

O comportamento de um consultor deve exteriorizar valores, emoções e seu conhecimento. É preciso ter a capacidade de se comunicar dentro da empresa de forma produtiva, porém tranqüila, deixando claro a todos os colaboradores que está comprometido com seu trabalho, que acredita no que faz, e está disposto a ajudar a empresa. O posicionamento como um colega dos demais funcionários, como o de alguém que está ali para ajudá-los, é imprescindível para que estes criem confiança e não atrapalhem o seu trabalho.

As habilidades do consultor devem estar focadas preferencialmente nos métodos e instrumentos utilizados, no compartilhamento de ideias e informações sobre a empresa, na criação de um clima favorável, na gestão dos recursos disponíveis e na motivação.

O consultor empresarial deve saber também quais as melhores formas de se realizar a coleta de dados para posterior diagnóstico, dentro de cada tipo de organização, observando suas políticas e valores, antes mesmo de iniciar seu trabalho. Ele deve manter-se alinhado aos componentes da cultura organizacional de onde está realizando a consultoria, e respeitá-la. Isso vai garantir uma relação tranqüila com a empresa-cliente, gerando sempre resultados positivos, que podem resultar também em contratações futuras por essa mesma organização e por outras que podem ter conhecimento dos bons resultados.  

 

Só quem pode prestar Consultoria em Enfermagem é o enfermeiro?

Sim, a Consultoria em Enfermagem somente é prestada pelo enfermeiro e esta normatização está descrita na Lei 7.498/86, que dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem. O artigo 11 diz: “Art. 11. “O Enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem, cabendo-lhe:

h) consultoria, auditoria e emissão de parecer sobre matéria de enfermagem;”

 

 

Além da área de enfermagem, em quais outras o enfermeiro pode prestar Consultoria?


Nas áreas de Gestão, Qualidade, Elaboração de Estudos de Viabilidade, Implantação de Modelos de Gestão, Implantação de novos serviços (com a apresentação de custo/benefício), Planejamento Estratégico, Treinamentos, entre outros. Há um leque bem positivo de oportunidades para o profissional.

 

 

O que diz a tabela de honorários sobre o valor a ser cobrado?

O Cofen, em sua Resolução 301/2005, fixou valores mínimos como base para a Consultoria, que é de R$ 72,31 a hora, mas nem sempre esse valor é o praticado pelo mercado. Vale ressaltar que a especificação do projeto e o currículo do consultor também são fatores que influenciam no valor da consultoria, e a legislação deixa bem claro que esta negociação  é livre entre contratante e contratado.

 

 

Quais são os aspectos éticos que envolvem a Consultoria?

Eles são os mesmos que regem a categoria profossional, cabendo ressaltar o sigilo profissional, mantendo os aspectos de confidencialidade do cliente.

 

 

“especificação do projeto e o currículo do consultor também são fatores que influenciam no valor da consultoria”

 

 

Quem contrata um serviço de Consultoria deve estar atento a quais questões?

A empresa, ao decidir pela contratação de um serviço de consultoria externa deve realizar cuidadosa seleção dentre as alternativas do mercado, considerando – no mínimo - os seguintes aspectos:

  1. Qual a especialidade que necessito para meu problema?
  2. Vamos contratar consultores da nossa cidade, da região, ou de outras regiões?
  3. Contratar um consultor pessoa física, ou uma empresa estabelecida( pesssoa Juridica)?
  4. Contratar um especialista no assunto, ou um generalista?

O importante é saber o que se pretende ao se contratar uma consultoria, ter os objetivos bem defidos, para que o trabalho seja produtivo para ambas as partes e se atinja as metas estipuladas.

Muitas vezes o consultor externo, por ser independente tem um peso maior do que quando as informações são relatadas por colaboradores da instituição,  verifica-se então a responsabilidade dos relatórios emitidos. Porisso trabalhamos muito com dados oficiais, utilizando portanto da internet como meio de pesquisa.

 

 

Quem deseja abrir uma empresa de Consultoria deve seguir quais passos?

A atuação como enfermeiro consultor pode ser por meio de uma microempresa, por exemplo de Treinamento, e pode ser de Consultoria (Ltda.). A diferença entre elas está nos tributos que se paga.

Para se abrir uma empresa deve-se seguir os seguintes passos:

·         Elaboração do Contrato Social da Empresa, avalisado por um advogado;

·         Encaminhamento do Contrato Social para o Coren, o qual vai validar a empresa;

·         Encaminhamento do Contrato validado ao Coren para Registro da Empresa na Junta Comercial e solicitação de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica(CNPJ) da empresa;

·         Registro na Prefeitura da nova Empresa;

·         Encaminhamento de cópia do registro e cartão de CNPJ ao Coren.

·         Recebe um certificado de Responsável Técnico da Empresa, emitido pelo Coren e de renovação anual.

A partir de então há as obrigações mensais de pagamento dos tributos de acordo com o valor da  Nota Fiscal(NF) emitida, e o tipo de empresa a saber:

Se a empresa for uma Sociedade Ltda. e a Nota Fiscal for no valor acima de R$ 5000,01 a empresa pagadora retém 1,5% do valor relativo a  Imposto de Renda e 4,65% referente a PIS/Cofins/CSLL. No dia 10 de cada mês, paga-se o ISS, que em SP é de 5%. No dia 30 paga-se o Imposto de Renda, no valor de 4,8%( deduz o 1,5% já retido) e 2,88% de contribuição social.

Se a empresa estiver inserida no Simples, até 120.000 de ganhos no ano, paga-se 4,5% sobre o valor da Nota ao mês. Anualmente, paga-se ao Coren a anuidade da empresa, além da anuidade pessoa física e a taxa de renovação da empresa.

 

 

Como deve ser a abordagem de um consultor?

O trabalho do consultor como "agente de mudança" implica na transferência de conhecimentos e a capacitação do fator humano organizacional, de forma implícita ou explícita. A abordagem deve ser a mais profissional possível e de forma ”agregadora”, deixando caminhos abertos e bons canais de comunicação entre os interlocutores.

É uma atividade prazerosa, onde nos sentimos úteis com as contribuições que fazemos e também aprendemos muito com as diferenças regionais.

 

 

“É uma atividade prazerosa, onde nos sentimos úteis com as contribuições que fazemos e também aprendemos muito com as diferenças regionais”

 

 

O que é necessário para o enfermeiro tornar-ser um bom consultor?

A consultoria é uma atividade que necessita de atualização constante referente as legislações pertinentes e ao mercado de saúde como um todo. Ter conhecimento do assunto e acompanhar as informações da área também devem ser rotina do profissional. Outro fator determinante para uma boa atuação em consultoria é o comportamento do consultor. Ele tem que estar ciente de que está chegando na instituição para somar, para agregar e não para ‘tomar o lugar de ninguém’. Ele tem que ter isso em mente e saber transmitir. 

 

 

Cristina Ramos Rodrigues - Enfermeira especialista em Administração Hospitalar e Saúde Pública, Consultora especialista em Diagnósticos de Instituições de Saúde, Gestão de Processos Assistenciais e Projetos de Viabilidade de Organizações de Saúde.





Fonte: Portal da Enfermagem


Comentários   Clique aqui para enviar seu comentário.
O portal da Enfermagem não faz a moderação dos comentários sobre suas matérias, esse Espaço tem a finalidade de permitir a liberdade de expressão dos seus leitores, portanto, os comentários não refletem a opinião dos gestores. Apesar disso, reservamo-nos o direito de excluir palavras de baixo calão, eventualmente postadas.

Nenhum comentário enviado.


Voltar Imprimir Indicar por e-mail Comente está notícia

Cadastre-se

para receber nossos informativos >>>>>