Portal da Enfermagem
Apoio Cultural:
Ato Médico

Em virtude da importância do tema e o impacto que ele trará para nossa profissão, optamos em criar esta página. Você poderá acompanhar a evolução do projeto e manifestar sua opinião por meio dos endereços aqui postados.



Ato Médico
A A A

>> Entendendo o Movimento


PL 7703/06 – Ato Médico - Conhecido como lei do ato médico, o projeto de lei (7703/06) define quais são as atividades exclusivas dos médicos e gera polêmica ao restringir algumas atividades aos mais de 4 milhões de profissionais da Saúde, dentre eles os enfermeiros.

Se aprovada com a atual redação, a lei pode impactar no setor saúde, na vida de profissionais enfermeiros, psicólogos, farmacêuticos, fisioterapeutas e demais profissionais distribuídos nas 13 áreas que englobam a Saúde.

A proposta está em discussão no Congresso já faz mais de nove anos. Inicialmente, a definição do Ato Médico constava apenas em uma resolução do Conselho Federal de Medicina (Resolução 1627/2001 - CFM), e assim, aplicava-se apenas à prática de médicos. Entretanto, o conteúdo dessa resolução foi transformado em Projeto de Lei (PL), para ter validade de lei, passando a incidir sobre todas as profissões, principalmente as da área da saúde. O PLS 025/2002 (conhecido como PL do ato médico), elaborado pelo senador Geraldo Althoff (PFL-SC), que é médico, a partir da Resolução do CFM, buscava a regulamentação da profissão médica, definindo os atos médicos. Ao longo das tramitações no Senado, foi apensado a ele o PLS 268/2002 (PL do médico), de autoria do senador Benício Sampaio (PFL-PI), que definia o exercício da medicina, incluindo suas atividades privativas. Ambos os PL passaram primeiramente pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (Parecer CCJC - relator - Tião Viana/ PT-AC), onde houve parecer que rejeitou o PL 268 e aprovou uma versão substitutiva do PLS 025. Em seguida, foi para a Comissão de Assuntos Sociais (Parecer CAS - relatora- Lúcia Vânia/ PSDB-GO) que rejeitou o PLS 025 substitutivo e aprovou o PLS 268 substitutivo, sendo essa a decisão final antes de ser feita apreciação no plenário do Senado, onde, por fim, o PL 268 substitutivo  foi aprovado, em 2006. Seguiu, então, para a Câmara dos Deputados, onde será apreciado pelas Comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público, de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania, tendo a nova denominação de PL 7703/2006.

O que os profissionais da área da saúde ressaltam é que definir como atividades privativas dos médicos todo e qualquer diagnóstico de disfunção que acometa o ser humano, e as respectivas prescrições terapêuticas, é restritivo e negador da multidisciplinaridade. Além dos enfermeiros, fisioterapeutas, biomédicos e psicólogos, entre outros, afirmam que perderão sua autonomia de atuação caso o projeto seja aprovado e sancionado pelo presidente Lula.

Esta é a segunda vez que o projeto de lei chamado de "Ato Médico" é discutido no Congresso Nacional. A primeira versão do projeto, de 2002, de autoria do senador Benício Sampaio, foi rechaçada em 2004 após grande mobilização popular, que tomou as ruas de grandes cidades brasileiras e envolveu vários conselhos e sindicatos de profissionais da Saúde. O projeto voltou a tramitar no Senado em 2006, recebeu emendas e foi encaminhado para a Câmara dos Deputados ainda em 2006. Foi arquivado em 2007 e voltou a tramitar "por solicitação" em outubro de 2009.

Estamos atentos, acompanhando cada passo da aprovação do PL 7703/06.


>> Últimos acontecimentos

08/02/2012 - Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprova o projeto de lei chamado "Ato Médico". Para ser sancionado, o PL ainda necessita ser analisado pelas comissões de Educação (CE) e de Assuntos Sociais (CAS) da Casa e, se aprovado, ir a votação em Plenário.

14/12/2010 - Representantes de diversas áreas da saúde se reuniram, em audiência, com o senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado, para expor as razões da necessidade de assegurar o debate público sobre o PL nº 268/2002, conhecido como Ato Médico.

05/04/2010 - Comissão de Educação do Senado Federal aprova o Requerimento n.º 140, de 2010, sobre a realização de audiência pública para tratar do Ato Médico.

Ainda sem data definida, a audiência pública será uma oportunidade para o debate.

09/03/2010 - Dia Nacional da Luta Contra o Ato Médico

Data marcou a manifestação nacional pela rejeição ao Projeto de Lei do Ato Médico em todo o Brasil, por onde ocorreram mobilizações nas principais Capitais.

27/02/2010 – Virada da Saúde - Cerca de 20 mil pessoas estiveram presentes no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, para participar da Virada da Saúde e dizer não ao Projeto de lei do Ato Médico. Representando o Coren-SP esteve a vice-presidente do Conselho, Drª. Cleide Mazuela Canavezi.

24/02/2010 - Comissão de Constituição Justiça do Senado ouviu, em audiência pública, entidades representativas das profissões da área da saúde que são contrárias à aprovação do''Ato Médico''. Estiverem representando a Enfermagem o Conselheiro Federal do Cofen, enfermeiro Antônio Coutinho de Jesus, e a presidente do Coren-SE, Irene Ferreira.

11/12/2009 – Agência Senado, em enquete publicada no site durante o mês de dezembro, questiona seus leitores sobre o projeto Ato Médico com a pergunta:

Você é a favor ou contra a regulamentação do exercício da medicina nos termos do projeto PLS 268/02 (Ato Médico)?

10/12/2009 – Conselho Nacional de Saúde (CNS) solicitou ao Senado, por meio da Recomendação CNS nº 031, que ao analisar o PL do Ato Médico “leve em consideração as garantias constitucionais relativas ao direito dos usuários do SUS ao atendimento integral e preserve a autonomia dos profissionais de saúde”.

Leia a íntegra da Recomendação CNS nº 031

21/10/2009 – Plenário da Câmara dos Deputados aprova o PL do Ato.

Confira a votação.

14/10/2009 - Comissão de Seguridade Social e Família aprova o PL 7703/06.

Confira o relatório da Comissão.

07/10/2009 - Comissão de Educação e Cultura aprova o PL com emendas do relator, deputado Lobbe Neto (PSDB-SP), que abre a outros profissionais de saúde a realização de alguns procedimentos que não são claramente privativos de médicos, como os exames anatomopatológicos e citopatológicos, como o papanicolau.

Confira as Emendas.

6/10/2009 – Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) aprova o PL Ato Médico.

Confira o relatório da Comissão.

29/09/2009 – 12º CBCENF também foi palco de um manifesto contra o “Ato Médico”. O documento faz um alerta à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal para que o Projeto não seja aprovado da forma como está.

Confira a íntegra do Manifesto.

16/09/2009 – O projeto passa a tramitar em regime de urgência na Câmara dos Deputados.

10/12/2008 – Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) aprova o substitutivo ao Projeto de Lei nº 7.703.

Confira o relatório da Comissão.

02/12/2006 - Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) aprova substitutivo ao PL nº 268/2002, que recebe o número 7.703/2006.

Confira as alterações do PL - Substitutivo.

28/06/2006 - Audiência pública realizada na Comissão de Assuntos Sociais, para instruir o Projeto de Lei do Senado nº25, de 2002, que dispõe sobre o Ato Médico.

Confira o relatório da Audiência Pública.



>> Material de apoio

- Clique aqui e faça o download do Substitutivo - PLS 7.703/2006 – PL Ato Médico

- Clique aqui e veja a Nota Oficial do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN)

- Clique aqui e leia a Nota Oficial da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn)

- Clique aqui e leia a Nota Oficial do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo (SEESP)

- Clique aqui e acesse o site do Ato Médico



>> Contatos – Senadores

Se você também é contra a aprovação do Ato Médico na forma atual de sua redação, encaminhe seu questionamento aos senadores da República.

adelmir.santana@senador.gov.br,
almeida.lima@senador.gov.br,
mercadante@senador.gov.br,
acmjr@senado.gov.br,
alvarodias@senador.gov.br,
antval@senador.gov.br,
arthur.virgilio@senador.gov.br,
augusto.botelho@senador.gov.br,
cesarborges@senador.gov.br,
cicero.lucena@senador.gov.br,
cristovam@senador.gov.br,
delcidio.amaral@senador.gov.br,
demostenes.torres@senador.gov.br,
lobaofilho@senador.gov.br,  
eduardo.azeredo@senador.gov.br,
eduardo.suplicy@senador.gov.br,
efraim.morais@senador.gov.br,
eliseuresende@senador.gov.br,
ecafeteira@senador.gov.br,
expedito.junior@senador.gov.br,
fatima.cleide@senadora.gov.br,
fernando.collor@senador.gov.br,
flavioarns@senador.gov.br,
flexaribeiro@senador.gov.br,
francisco.dornelles@senador.gov.br,
garibaldi.alves@senador.gov.br,
geraldo.mesquita@senador.gov.br,
gerson.camata@senador.gov.br,
gilvamborges@senador.gov.br,
heraclito.fortes@senador.gov.br,
ideli.salvatti@senadora.gov.br,
inacioarruda@senador.gov.br,
jarbas.vasconcelos@senador.gov.br,
jayme.campos@senador.gov.br,
joaodurval@senador.gov.br,
joaopedro@senador.gov.br,
joaoribeiro@senador.gov.br,
jtenorio@senador.gov.br,
j.v.claudino@senador.gov.br,
jose.agripino@senador.gov.br,
josenery@senador.gov.br,
sarney@senador.gov.br,
katia.abreu@senadora.gov.br,  
leomar@senador.gov.br,
lucia.vania@senadora.gov.br,
magnomalta@senador.gov.br,
maosanta@senador.gov.br,
crivella@senador.gov.br,
marco.maciel@senador.gov.br,
marconi.perillo@senador.gov.br,
maria.carmo@senadora.gov.br,
mario.couto@senador.gov.br,
marisa.serrano@senadora.gov.br,
mozarildo@senador.gov.br,
neutodeconto@senador.gov.br,
osmardias@senador.gov.br,
papaleo@senador.gov.br,
patricia@senadora.gov.br,
paulo.duque@senador.gov.br,
paulopaim@senador.gov.br,
simon@senador.gov.br,
raimundocolombo@senador.gov.br,
renan.calheiros@senador.gov.br,
renatoc@senador.gov.br,
romero.juca@senador.gov.br,
romeu.tuma@senador.gov.br,
rosalba.ciarlini@senadora.gov.br,
sergio.guerra@senador.gov.br,
sergio.zambiasi@senador.gov.br,
serys@senadora.gov.br,
tasso.jereissati@senador.gov.br,
tiao.viana@senador.gov.br,
valdir.raupp@senador.gov.br,
valterpereira@senador.gov.br,
wellington.salgado@senador.gov.br,
ideli@ideli.com.br,
marina.silva@senadora.gov.br,
jefferson.praia@senador.gov.br,
gilberto.goellner@senador.gov.br,
gim.argello@senador.gov.br,
robertocavalcanti@senador.gov.br








Voltar

Cadastre-se

para receber nossos informativos >>>>>